Uncategorized

Deixou Sporting e agora está sofrendo retaliações no Manchester City

Publicado:

Matheus Nunes
© Getty Images
Publicidade

Internacional português assume que “o ano podia ter corrido melhor”.

Matheus Nunes concedeu uma extensa entrevista à edição deste sábado do jornal britânico Manchester Evening News, na qual respondeu às críticas de que foi alvo por parte do diretor do futebol do Wolverhampton, aquando da saída para o Manchester City.

Matt Hobbs assumiu ter ficado “desiludido” com o facto de o internacional português ter recusado treinar, com o objetivo de forçar a transferência para o Etihad, até porque, “na passada temporada, não alcançou a dimensão que esperava”.

Publicidade

Agora, o médio de 25 anos reconhece que “o ano podia ter corrido melhor, mas deixou uma certeza: “O ano anterior, no Sporting, foi o ano no qual basearam a opinião que tinham de mim. No que diz respeito ao compromisso, não”.

Dei o meu melhor, tentei fazer o meu melhor. Não foi uma temporada fácil para ninguém. O objetivo que tínhamos para o ano passado não era lutar pela sobrevivência na Premier League. Em termos de compromisso, têm de saber que darei sempre o meu melhor”, afirmou.

“Quando estava lá, tendei dar sempre o meu melhor para ajudar o clube. Talvez ao nível das exibições, com todas as circunstâncias… Joguei a maior parte do ano com uma lesão. Por vezes, joguei fora de posição, e a alteração de treinador não ajudou”, prosseguiu.

Publicidade

“Percebo os comentários, talvez devido à maneira como tudo aconteceu. Tudo aconteceu muito rapidamente. Também já era adepto, antes, e, quando vês alguma coisa e pensas ‘Foi isto que aconteceu’, acreditas porque não tens outro ponto de vista. É justo”, completou.

Publicidade