NOTICIAS

Escassez de Macas força suspensão temporária no Hospital Beatriz Ângelo

Publicado:

Hospital Beatriz Ângelo
© Getty Images
Publicidade

O Hospital Beatriz Ângelo, localizado em Loures, enfrenta atualmente restrições no seu Serviço de Urgência Geral Adulto, impedindo a entrada de ambulâncias.

Esta situação deve-se à falta de macas e foi anunciada pelo comandante dos Bombeiros Voluntários de Camarate, Luís Martins.

Os constrangimentos tiveram início por volta das 11h00 de hoje e deverão persistir até às 09h00 de quinta-feira.

Publicidade

Segundo Luís Martins, o hospital não está a aceitar pacientes de emergência provenientes dos bombeiros devido à carência de macas. A agência Lusa entrou em contacto com o Hospital Beatriz Ângelo em busca de esclarecimentos, mas ainda aguarda uma resposta.

Durante esse período, o Hospital Beatriz Ângelo não recebeu ambulâncias de emergência médica. Como alternativa, os órgãos de bombeiros da região foram instruídos a fornecer informações clínicas para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) poder encaminhar os pacientes para outros hospitais, incluindo o Hospital Santa Maria e o Hospital São José, ambos em Lisboa.

Luís Martins explicou que as ambulâncias estão a ficar retidas nas instalações de urgência do Hospital de Loures, e a situação foi comunicada por volta das 11h00, quando o hospital informou que não poderia receber mais ambulâncias.

Publicidade

A principal causa dessas restrições, de acordo com Luís Martins, é a falta de macas no hospital. Os pacientes ficam por muitas horas nas macas dos bombeiros até que uma maca hospitalar fique disponível, resultando na retenção das ambulâncias até que a situação seja resolvida.

O Hospital Beatriz Ângelo serve como referência para sete corpos de bombeiros no concelho de Loures, bem como para três corpos de bombeiros em Odivelas, além de Mafra, Malveira e Sobral de Monte Agraço.

Publicidade
Publicidade