DESPORTO

Sérgio Conceição revela o real motivo de colocar o Evanilson na segunda parte e surpreende adeptos

Publicado:

Sérgio Conceição revela o real motivo de colocar o Evanilson na segunda parte e surpreende adeptos
IMAGO
Publicidade

Sérgio Conceição comentou após o jogo do FC Porto contra o Antuérpia (1-4) na 3ª rodada da Liga dos Campeões. Ele abordou a entrada de Evanilson na segunda parte, que acabou marcando um hat-trick.

Dizendo: “Haverá críticos se questionando por que Evanilson não começou o jogo, mas eu tinha certeza de que ele não teria o mesmo impacto no início. A estratégia é definida com base em diversos fatores analisados durante a semana. Os jogos têm 90 minutos, e sempre há ajustes a serem feitos. A equipe está evoluindo, tivemos alguns problemas físicos, mas continuamos buscando equilibrar o time. Tivemos humildade para reconhecer o que precisava ser melhorado.”

Estratégia revelada

Ele destacou que a mudança de desempenho no jogo não foi apenas por causa da entrada de Evanilson, mas também pelo trabalho em equipe: “Não foi apenas a mudança de jogador que impactou a equipe. A recuperação da bola, o serviço para o jogador, a definição da nossa zona de atuação e a pressão sobre o adversário melhoraram na segunda metade do jogo. Foi notável como na primeira parte nos afastamos do que fazemos tão bem, e na segunda parte recuperamos nossa qualidade. Se tivesse colocado Toni, Navarro ou Namaso, eles também seriam capazes de pressionar e marcar gols da mesma forma. A equipe teve um comportamento diferente, e a excelente qualidade de Evanilson se destacou.”

Publicidade

Sérgio Conceição também comentou sobre a diferença de desempenho entre as duas partes do jogo, enfatizando a importância de aprender com as falhas e melhorar constantemente: “Sempre buscamos identificar áreas de melhoria e evolução. Alguns podem dizer que Evanilson deveria ter começado o jogo, mas ele estava destinado a entrar no momento certo. Respeitamos o Antuérpia, mas não temos medo de nenhuma equipe do mundo. Na segunda metade, voltamos ao nosso estilo de jogo, com agressividade e pressão. Relembramos o que preparamos e o que fizemos de errado. O intervalo foi crucial, e demos uma resposta. O treinador está aqui para corrigir e aprimorar as coisas, mesmo que às vezes não seja possível.”

Publicidade